Arquivos do Blog

Irmã de Lorde também mostra talento cantando

india-yelich-oconnor-4Enquanto Lorde curte seu sucesso, sua irmã mais nova, India, se arrisca nos primeiros passos no mundo da música. A jovem causou uma comoção na internet ao postar um cover da música “Say Somenthing”, da banda A Great Big World, mas diz que ainda não tem pretensões maiores: “Só coloquei na internet para me divertir”.

A versão não tem produção e é bem crua, mas já dá para notar um vozeirão em India. Será que ela vai seguir os passos da irmã?

Anúncios

Aos 16 anos, Lorde chega ao topo das paradas na contramão da ostentação

lorde-billboard-650-430Dá licença Miley Cyrus e Katy Perry, que tem uma nova garota na parada. Lorde, jovem neozelandesa de 16 anos, atingiu um feito histórico: se tornou a mais jovem artista a alcançar o topo da parada Billboard em 26 anos com a música “Royals” e desbancou Miley e Katy, que se revezavam no topo há semanas com “Wrecking Ball” e “Roar”, respectivamente. Seu primeiro álbum foi lançado em março de 2013, mas a cantora tem contrato com a gravadora Universal desde os 13 anos. Leia o resto deste post

Beyoncé: “4” decepciona

O novo disco de Beyoncé, “4”, só foi lançado oficialmente no dia 28 de junho mas chegou aos ouvidos do mundo antes disso, no dia 7.  Os críticos parecem não ter ligado (nem para o vazamento nem para o lançamento)  e eu só fui escutá-lo inteiro depois do lançamento oficial. Não é que “4” seja ruim, mas é fraco. Bem fraco se comparado aos anteriores, especialmente a “I Am…Sasha Fierce”.

Eu já não tinha gostado de “Run The World (Girls)”, o single escolhido para ser o primeiro de trabalho deste novo CD, e acho que por isso não estava ansiosa para ouvir o resto. A balada “1+1” apresentada no “American Idol” também não me comoveu, embora ela cante lindamente. E eu sou fã da Beyoncé (fui aos dois shows dela aqui no Rio)!

Foi por causa de “Best I Never Had”- a minha música favorita deste CD- que eu fui de coração aberto escutar o álbum. Falta, como diria a própria Beyoncé, um “flavor” nesse álbum. Entre as melhores estão “End Of Time” e “Countdown”, mas não passa disso. Não há nenhuma candidata a nova “Halo” e nem a nova “Single Ladies” (“Run The World (Girls)” tá muito longe, sorry).

A Columbia, gravadora da cantora, não gostou do mal desempenho de “Run The World (Girls)” e os chefões se preocupam com o desempenho do CD comercialmente. Mas antes que os alarmistas decretem o fim da Era Beyoncé e a decadência da diva- que tirou um ano de férias e escreveu 72 (!) músicas para o álbum- lembremos que todas as divas da música têm seus momentos ruins . Se Mariah Carey sobreviveu a “Glitter” (aquilo sim era um CD ruim) e voltou com tudo em “The Emancipation of Mimi”, há mais do que esperança para B.

E se o álbum não vender milhões de cópias? Coloca a querida no palco que está tudo resolvido! Vide o vídeo abaixo dela cantando “Best I Never Had” e “End Of Time” no festival de Glastonbury, na Inglaterra.

Ellie Goulding, a inglesinha que conquistou até o casal real

Depois de Jessie J e Adele, a minha mais nova obsessão vinda da terra da Rainha se chama Ellie Goulding. A inglesa, de 25 anos, começou a se interessar por música ainda novinha e aos 14 anos já escrevia suas músicas, mas foi na faculdade de teatro que ela decidiu correr atrás da carreira de cantora. Com a ajuda e o incentivo de alguns amigos músicos, ela resolveu trancar a faculdade por um tempo e tentar a sorte. Deu certo. Leia o resto deste post

Conheça Jessie J, a menina bad ass do pop

Enquanto Lady Gaga e Britney Spears disputam o título de melhor álbum pop do ano, uma londrina vem chegando de fininho e conquistando espaço nas paradas mundo afora. Jessie J ainda não é muito conhecida por aqui, mas em breve você vai ouvir falar da moça. Ela já está bombando na Inglaterra e nos EUA. Leia o resto deste post

Amy Winehouse está de volta ao mundo da música

Amy Winehouse está de volta! Não, ela não se envolveu em nenhum barraco. Ela está de volta ao mundo da música mesmo e mais uma vez na companhia do produtor Mark Ronson.

Apesar de os dois terem trocados umas farpas e de Amy ter dito que não trabalharia mais com ele, os dois se uniram para o álbum “Q: Soul Bossa Nostra”, uma homenagem a Quincy Jones. Amy canta a música “It’s My Party”, de 1963. O álbum será lançado nesta terça-feira, 2, e traz música de Jones reinterpretadas por cantores como Usher e Mary J Blige. Curte aí!

%d blogueiros gostam disto: