Planeta Terra 2010: o que rolou de melhor (na minha opinião)

O meu ingresso para o Planeta Terra estava comprado há séculos e eu quase não fui. Depois de  quase desistir, eu finalmente comprei a passagem na sexta-feira (lembre-se o show era no sábado), e lá fui eu para SP. E ainda bem que eu fui porque, putz, foi muito bom. De arrependimento só o fato de eu não ter verificado se a minha máquina estava com bateria e de não ter conseguido, embora tentado muito, encontrar @liviafigueiredo. De resto foi só alegria.

Cheguei por volta das 20h, então perdi a apresentação do Of Montreal que dizem ser muito bacana. Porém, quando Mika subiu ao palco eu já estava lá prontinha e surpreendentemente eu conhecia todas as músicas e cantei de olhinhos fechados e plenos pulmões “Happy Ending” 😀

Agora, é impressionte a voz do cara. Ele pula, dança, interage e canta sem perder o fôlego. Um arraso! Além disso, a banda dele é bem boa.

Saí do Mika direto e correndo para o outro lado do Playcenter onde o Passion Pit ia se apresentar. Eles eram o meu foco principal no Terra e as minhas expectativas estavam altíssimas, tanto que passei o dia tentando me convencer de que podia ser ruim. Afinal, a Megazine detonou o show dos caras no Coachella. Para minha alegria, o show foi uma maravilha. Michael Angelakos fez bonitos nos falsetes. Melhor ainda foi o final do show, quando uma galera já tinha se deslocado para ver o Phoenix no outro palco (várias se arrependeram de ter feito isso!) e tinha espaço sobrando para eu fazer aloka cantando e pulando muito.

Acabado o show do Passion Pit, fui feliz e saltitante ver o Phoenix. E pelos comentários que ouvi fiz muito bem em só ir depois porque os caras não estavam agradando muito. Mas devo dizer que a parte que eu vi e ouvi gostei muito. Os franceses não estavam interagindo muito com o público, mas do nada começaram a se soltar, falar e o vocalista Thomas Mars foi até pra galera! O sujeito literalmente nadou no público. Reparem em duas coisas: o fio do microfone brilha no escuro (lindo!) e ele faz a contagem em francês (lindo²!)

Acabado o Phoenix bora todo mundo correr pro outro lado de novo para ver o Hot Chip que com certeza foi o show da noite. Meu show preferido continua sendo o do Passion Pit porque eu adoro os caras, mas quem tava no Playcenter sabe que o Hot Chip arrasou muito. Eu, que só gostava de algumas músicas, curti horrores a a apresentação. Até a versão, digamos,  mais caribenha de ‘I Feel Better’ foi legal.

Depois do Hot Chip, eu não corri para nenhum lugar. Tava rolando o Pavement lá no palco principal, mas eu precisava me alimentar então desencanei e não vi.

Enquanto eu matava a minha fome, deu para ver um pouquinho de Empire of The Sun. E a melhor palavra para descrever é: performático. Aquilo sim é  uma performance: luzes coloridas, efeitos especiais, maquiagem-muita maquiagem-, dançarinos, figurino…

E sobre o Smashing Pumpinks: putz, foi muito caído. Eu assisti algumas músicas e depois fui sentar porque a essa altura do campeonato já estava muerta! Óbvio que tinha muita gente curtindo mas comparado ao que rolou ao longo da noite, deixou muito a desejar. Mas tá aí um trecho do show:

Que venha o próximo!

Anúncios

Sobre Tati Regadas

Jornalista, viciada em séries e cultura pop.

Publicado em 22/11/2010, em música, Não categorizado, show e marcado como , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: